Logon

 

 

OncologiaOncologia
CardiologiaCardiologia

Câncer e Tumores Cardíacos

Os tumores cardíacos são um tópico importante da cardio-oncologia, mas são pouco frequentes na população. Os tumores primários, que são aqueles originados no coração, são extremamente raros, sendo 30 a 40 vezes mais comuns as metástases de tumores malignos originados em outros órgãos, principalmente pulmão, mama e rins, assim como sarcomas e melanomas.

Ambos os tipos de tumores cardíacos podem ser assintomáticos (detectados por exames realizados para avaliar outros sintomas) ou sintomáticos. Os exames mais utilizados para avaliação são o ecocardiograma, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética.

Tumores-cardiacos.jpg

Tratamento dos Tumores Cardíacos

O tratamento de um tumor cardíaco primário benigno, quando possível, costuma ser a ressecção cirúrgica, devido ao risco de complicações cardiovasculares ou embolização. Já os tumores primários malignos, que são extremamente raros, têm prognóstico ruim e a ressecção cirúrgica pode ser tentada em casos selecionados.

No caso das metástases cardíacas, a ressecção cirúrgica não costuma ser a regra, mas pode ser realizada em casos individuais, desde que outros órgãos não estejam envolvidos e que o tumor possa ser retirado por completo.

Tumores Cardíacos Primários

Os tumores cardíacos primários podem ser malignos ou benignos, de acordo com as características microscópicas e o seu potencial de invadir o órgão e causar metástases. No entanto, os sintomas causados pelos tumores cardíacos têm maior relação com sua localização no coração do que com as características microscópicas.

Aproximadamente 75% dos tumores cardíacos primários são benignos. O mais comum é o mixoma cardíaco, localizado na maioria das vezes no átrio esquerdo do coração. Porém, mesmo os tumores benignos apresentam riscos aos pacientes, pois podem obstruir o fluxo de sangue ou atrapalhar o funcionamento das válvulas cardíacas, causando sintomas de insuficiência cardíaca, como falta de ar.

Outras manifestações possíveis são o surgimento de arritmias ou embolizações, quando pedaços do tumor se desprendem e obstruem a circulação arterial causando isquemia no cérebro ou em outros órgãos.

Os tumores primários malignos os mais frequentes são os sarcomas.

Metástases Cardíacas

As metástases cardíacas são muito mais comuns do que os tumores primários do coração. No entanto, é raro que necessitem de abordagem específica, pois os sintomas do tumor primário costumam ser mais proeminentes e determinam o prognóstico e as condutas terapêuticas.


Tumores-cardiacos-2.jpgImportância da Cardio-Oncologia no Tratamento dos Tumores Cardíacos

A ressecção cirúrgica muitas vezes é um desafio para os cirurgiões cardíacos e o prognóstico costuma ser muito variável, dependendo principalmente do tipo e da localização, assim como da possibilidade de ressecção completa do tumor.

Uma vez diagnosticado um tumor cardíaco, é fundamental que o paciente seja tratado em um centro de referência devido à complexidade que costuma envolver o caso. A atuação conjunta entre cirurgiões cardíacos, cardiologistas e oncologistas é fundamental para o sucesso da terapia. O Núcleo de Cardio- Oncologia do Hospital Sírio-Libanês conta com especialistas preparados para definir a melhor abordagem em cada caso, além de possuir uma completa estrutura cirúrgica, de internação e de diagnósticos.


Mais informações sobre o Núcleo de Cardio-Oncologia do Hospital Sírio- Libanês

  • Telefone: +55 (11) 3394-5001.

  • Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.